VAI REFORMAR A CHÁCARA? CONHEÇA TIPOS DE LAJOTA PARA SUA OBRA

26/fev
Categorias:

VAI REFORMAR A CHÁCARA? CONHEÇA TIPOS DE LAJOTA PARA SUA OBRA

Sempre que fazemos uma reforma, temos a esperança de que ela vá trazer frutos duradouros, ou seja, que seus benefícios serão longevos e que não iremos precisar fazer novas alterações naquele local tão cedo.

Para que isso ocorra, no entanto, não basta contar com mão de obra qualificada; é preciso escolher materiais apropriados, que sejam adequados para a finalidade que você tem em mente, tanto esteticamente como estruturalmente – ou seja, eles devem ser tanto belos como resistentes.

Nesse sentido, pouquíssimas estruturas superam a lajota.

Se estamos falando da reforma de uma chácara, então, elas são um material ainda mais adequado, haja vista que oferecem, além de alta durabilidade, uma beleza rústica,  que valoriza esse tipo de ambiente.

O QUE É A LAJOTA?

Dá-se o nome de lajota a um tipo de revestimento feito de materiais argilosos.

Trata-se de um revestimento tradicional, que é usado pela humanidade há séculos – há registros desse tipo de cerâmica sendo usada para decorar superfícies na civilização babilônica, no século 6 (A.C.).

QUAIS TIPOS DE LAJOTA EXISTEM?

Existem, basicamente, 2 tipos de lajota; elas são agrupadas de acordo com o tipo de mineral que as compõem.

O primeiro tipo seria o de lajotas feitas de minerais duros.

Elas são mais duráveis, sendo capazes de suportar mais peso; algumas, aliás, são impermeáveis, como é o caso das feitas de granito e ardósia.

O segundo grupo é o de minerais suaves.

Esse tipo de pedra é mais poroso; logo, absorve mais água. Assim, não devem ser utilizadas em áreas em que fiquem expostas ou haja alto índice de precipitação.

Exemplos desse tipo de lajota são as feitas de calcário e arenito.

Esse tipo de pedra é mais delicada que as demais; elas racham e quebram com  mais facilidade, portanto não devem ser usadas em escadas ou locais que necessitem de  alta durabilidade.

Vale ressaltar que qualquer tipo de pedra natural pode ser transformada em lajota – isso, claro, desde que ela possa ser cortada.

Assim, embora granito, calcário, arenito e ardósia sejam os tipos mais comuns de lajota, outras pedras também podem ser utilizadas.

ONDE UTILIZAR CADA TIPO DE LAJOTA?

O material de cada lajota a torna indicada para uma certa aplicação.

As de minerais duro possuem boa resistência e baixa porosidade; logo, podem ser utilizadas em áreas externas e pisos, já que são duráveis.

Aquelas feitas de mineral suave, por outro lado, são mais porosas e delicadas; por isso, devem ser colocadas em ambientes internos e mais reservados, nos quais não irão precisar receber impacto constante; uma parede, para fins decorativos, é um exemplo de aplicação para esse tipo de lajota.

BUSQUE AUXÍLIO PROFISSIONAL

A lajota é um material fantástico. Ela é bela e versátil, podendo ser utilizada para uma ampla variedade de finalidades.

Para que ela traga benefícios e não dor de cabeça, contudo, é preciso contar com um bom fornecedor, que esteja habituado a trabalhar com esse tipo de produto, como a Lajoteiro, por exemplo, uma empresa que há anos vem se especializando não apenas em lajotas, mas também em uma série de outros tipos de produtos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *